sexta-feira, 8 de novembro de 2013

VENTURAS


Em torrente de sussurros infinitos
dou-te a alma e convido a alma tua
a venturas no entorno irrestrito;
posto-me, disposta, inteiramente nua

Mas é teu silêncio e esse ar contrito
que responde o verso e a rima pobre, sua;
já não sei, ao certo, o que mais te dito
mas, querendo, dou-te livre acesso à lua

Dou-te estrelas; cometas constelações
far-te-ei provar distintas sensações
nas viagens pelas venturosas águas

Se quereis, mergulhes, dar-te-ei a prova
de que o verbo explicitado se comprova
neste verso transbordante que deságua

VENTURAS - Lena Ferreira - out.13
Postar um comentário