sexta-feira, 13 de março de 2015

NA MESMA

Por me deixa cortar na primavera
andei por um verão longo e abafado
muito ocupada com certos cuidados
que, nem no inverno, eu jamais tivera

Porém, não me arrependo; sou da espera:
aguardo pelo outono inexplorado
trazendo um vento quase suspirado
que, nesse seu soprar, sempre pondera

- medindo as consequências das escolhas
conversa, paciente, com essas folhas
amortizando o peso em cada queda -

Por me deixar cortar, não me arrependo;
escolha e não-escolha, compreendo:
duas mesmas faces na mesma moeda




NA MESMA - Lena Ferreira - mar.15
Postar um comentário