sexta-feira, 27 de março de 2015

AMANHÃS

Um sol preguiçoso levanta-se do berço de nuvens
e caminha manso pela placidez azul

num conformismo tácito gestando futuros
galhos seminus não reclamam sede, fome ou frio

um vento acanhado, alisa ventres e circula pelo interior
acordando a copa, a seiva, o caule e a raíz

a terra orvalhada responde ao que o vento insinua
e o fato afeta o feto que sorri sementes:

amanhãs, vestindo verdes vários, vagarosos
ensaiam sua estreia marcada pra breve

- nessa calma, bebem luz e dispensam aplausos -



AMANHÃS - Lena Ferreira - mar.15
Postar um comentário