terça-feira, 10 de março de 2015

INÉRCIA

As horas passam e ele ali, só, vendo
o movimento lento dos ponteiros
só, questionando os seus  passos rasos
enquanto o tempo vai lhe absorvendo

De vez em quando, só, respira  fundo
e nesse trago, o seu sufoco aumenta
na realidade, só, sobrevivendo
nessa inércia onde a razão não venta

As horas passam e, não lhe absolvendo,
um pouco mais, a corda arrebenta...



INÉRCIA -Lena Ferreira - 
Postar um comentário