quinta-feira, 4 de setembro de 2014

CERZIDURA


Na testa, o vinco dos preocupados
na alma, as dobras da desesperança
na boca, o sorriso dos desesperados
no peito, uma vontade que não cansa:

Rasgar a alma, sem precisar atalhos,
em cortes, picotes e pedaços vários
até que, diante dos ínfimos retalhos
possa escolher somente o necessário...

….pra re-vestir-se, deitando à costura,
botões, colchetes, pontinhos de trança,
renda ou bordado, em efeito cerzidura;
vestida em calma, a alma, sim, avança


CERZIDURA – Lena Ferreira – set.14
Postar um comentário