terça-feira, 23 de setembro de 2014

CAUTELA


Ando me revestindo de cautela
Diante de um mar tão turbulento
Em ondas que anunciam sequelas
Acompanhadas de um forte vento

Penso que eu já não sou mais aquela
Meus braços vão em um ritmo lento
No turvo dessas águas, as querelas
Transbordam, transtornando... Não aguento

Nadar, nadar; braçadas em cansaço...
Carregando o peso dos olhos baços
O risco de afogar-me é iminente

Nas águas, turvas, turvas, como um cerco,
Me acautelo pois se lá me perco
Netuno envergará o seu tridente


CAUTELA - Lena Ferreira - set.14 
*mote* Jane Moreira

Postar um comentário