sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

OUTROS TEMPOS

Houve um tempo em que uns precipícios
convidando-me a um cego salto,
seduziam-me (e eu, um ser incauto,
me lançava num  fim sem princípios)


Houve um tempo também em que uns abismos
atraentes com os seus tantos vãos
acenavam-me (e eu, poupando os nãos,
me entregava qual no romantismo)


Entre um tempo e outro, chuva forte
alagou estes olhos  - por sorte,
clareou-os e enxergar já consigo -


Outros tempos, é certo, virão
mas já posso contar com a visão
de que em mim é que mora o inimigo



OUTROS TEMPOS - Lena Ferreira - dez.14 *


Postar um comentário