sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

BORDADO

Sob o olhar de uma lua adversa
tecemos um bordado com nova postura
com fios finos de cores várias, diversas
e alinhavamos novos sonhos com ternura


Com um terno beijo, entre uma e outra conversa,
reafirmamos a antiga e eterna  jura
enquanto a noite, sem  sinalizar sua pressa,
recebe a madrugada, mansa, que murmura


Suas canções suaves, doces, tão macias
em notas calmas, de perfeita harmonia,
sopradas por um céu todinho estrelado


Também sem pressa, acordamos mais um dia
finalizando, ponto a ponto, a poesia
que bem combina com os detalhes do bordado




BORDADO - Lena Ferreira  - dez.14
Postar um comentário