quinta-feira, 9 de abril de 2015

VOA

Vai, voa que eu nunca lhe quis preso
a porta da gaiola está aberta
sacuda de suas asas esse peso
dissipa a dor que a garganta aperta

É triste ouvir seu canto indefeso
que, mesmo triste, todo dia oferta
e não me olhe com esse ar surpreso
entenda que é a decisão mais certa

Prender quem nasceu para liberdade
é mais que egoísmo ou vaidade
é sufocar as asas do encanto

Vai, voa que aqui fico e Deus me prive
da tentação: castrar seu voo livre
vai, voa que ouvirei daqui seu canto


VOA - Lena Ferreira - abr.15
Postar um comentário