sábado, 11 de abril de 2015

REMISSÃO

Deixou de maldizer o mar e a lua
- culpá-los pela alteração das rotas -
e as frases várias de instabilidade
seguiram rituais compromissados
com versos descendentes do instante


Absolvendo o vento e os seus mitos
fantasmas, monstros e assombrações
seguiram em fractais embarcações
no curso de um verbo ressonante
onde o deságue é retorno ao aprisco


- bendito todo aquele que se aceita
apesar dos pesares e dos riscos -


REMISSÃO - Lena Ferreira - abr.15


Postar um comentário