terça-feira, 4 de novembro de 2014

VELHO MOÇO

Conheço-te somente de vista
de uma vista que bem pouco alcança
é certo
mas
o que não vejo perto me entristece tanto;
magro, seco,estéril e impotente
incapaz de alimentar a sua prole
e não pelo peso da idade


Não tenho conhecimento de causa
-dirão-
mas sei do orgulho que te movia
desfilando vasto e fértil
e hoje muito me comove
vê-lo à míngua
sem língua e, sem fala,
calou-se a fartura do leito
onde a margem é toda falta


Ah, Chico, velho moço
que antes corria solto no fundo de tantos quintais
hoje, apenas, a penas, se arrasta;
é onde se alastram a fome,
a sede, o descaso, a penúria
alimentadas por secas lágrimas
...e muitos ais



VELHO MOÇO - Lena Ferreira - nov.14
Postar um comentário