quinta-feira, 21 de maio de 2015

REVOADA DE VESTÍGIOS

Daqui da varanda, vejo uns gestos certos
pastoreando palavras com esmero
um rebanho de pelos claros e macios
que caminha tranquilo por um campo extenso
levemente umedecido por estrelas e orvalho 

basta-lhes  um discretíssimo aceno
e a nuvem da expectativa se arrobusta
se outro, justa,  se desfaz  em chuva
e a voz entorna limpa em cantares sacros
e os passos, firmes em louvores profanos

aos pés dessa varanda em que me ponho
há um jardim de florescência contínua
onde ramos de lírios dançam com o vento
impregnando o olfato, os poros e a visão

aspiro, expiro, inspiro-me:  aroma, perfume, essência
e toda a nota sentida sem fazer nenhum sentido
é uma canção a mais, é revoada de vestígios
que cantarolo,  quase serena, considerando os gestos
enquanto o vento prossegue soprando a desrazão


REVOADA DE VESTÍGIOS - Lena Ferreira - mai.15



Postar um comentário