sábado, 16 de maio de 2015

MISSIVA

As notícias das tuas pegadas
em terras tenras então estrangeiras
pousaram bem calmas nestas mãos aflitas
desdobrando o viés de uma saudade latente
letras lidas ponto a ponto com a ponta dos dedos
trouxeram para perto a ilusão do teu quê tão distante
na desdobra, um aroma almiscarado sossegou os sentidos
- mesmo que por um raro e brevíssimo instante -
num aconchego terno, a missiva abrasou o meu peito
enquanto um azul ultramarino testemunhava as nuvens
que passeavam vagarosamente pelo meu céu
logo choveu... uma chuva quieta e fininha
pelos olhos miúdos  em gotas de esperança
de que na volta de tantas andanças
outras nuvens virão carregadas
pela tua alegria tranquila


MISSIVA - Lena Ferreira - mai.15


Postar um comentário