quarta-feira, 13 de maio de 2015

A ESTUFA

Uma estufa que só orvalho produzia
recebeu o suave sopro de um bom vento
renovando o ar com nobre sentimento
acordou a rica semente que dormia

Ia alta a noite, mas bem parecia
que o sol havia entrado porta adentro
vicejando raízes, talos e o centro
respondendo como quem amanhecia

Da semente fez-se muda e, germinada,
gerou outras mudas, todas replantadas
onde a florescência tende à fartura

A estufa que só produzia orvalho
hoje está replena em flor e cada galho,
grato ao vento, exala essência de ternura


A ESTUFA - Lena Ferreira - mai.15


Postar um comentário