sábado, 18 de outubro de 2014

NO SILÊNCIO DA MANHÃ

No silêncio da manhã que se inicia
eu elevo o pensamento, ensolarado
por um céu de brilho intenso azulejado
sob as nuvens que o vento acaricia

Logo sinto responder-me a energia
de um sol que me abraça com cuidado
de um sol zeloso que ia preocupado
com meu riso disfarçado de alegria

Retirando o ranço dos resmungos tristes
embalou a sombra do que não existe
enviando cordialmente ao passado

No silêncio da manhã, meu peito leve
pronuncia uma oração sincera e breve:
gratidão pelo presente renovado


NO SILÊNCIO DA MANHÃ - Lena Ferreira
Postar um comentário