segunda-feira, 6 de outubro de 2014

DA JANELA


A noite aperta seus olhinhos já miúdos
enquanto a lua bocejando me acena
- é a madrugada despedindo-se serena -
talvez por isso os meus versos fiquem mudos
diante de tão exuberante e linda cena
com um sol sorrindo ensaiando mais um dia;
ponho de lado o papel, a tinta e a pena
e, da janela, leio a mais perfeita poesia


DA  JANELA – Lena Ferreira – out.14
Postar um comentário