domingo, 26 de outubro de 2014

EU NÃO SOU FLOR QUE SE CHEIRE

Eu não sou flor que se cheire;
sou flor que o perfume exala
quando ouve e sente a fala
delicada, mansa e sincera

Não sou flor de primavera
sou de todas estações
suportei vários verões
e a dureza dos invernos

Sempre com um sorriso terno
mesmo na adversidade
não por mera vaidade;
questão de sobrevivência

Não sou flor de quintessência
nascida num solo seco
flor que careceu de esterco
flor que não suporta vasos

Flor que tem os olhos rasos
tem amor à poesia
tem coragem e, noite e dia,
tenta o ajuste da essência


EU NÃO SOU FLOR QUE SE CHEIRE – Lena Ferreira – out.14
Postar um comentário