quinta-feira, 2 de outubro de 2014

EM NOME DA POESIA

Quando este corpo não tiver mais força
quando esta alma afrouxar das vestes
só um pedido faço a quem me ouça
seja do sul, do norte, leste ou oeste

Não quero vela, fita, flor, nem choro
nenhum discurso, nenhuma homenagem
nenhum aplauso, aclamação ou coro;
partirei mansa e leve, sem  bagagem

Volto ao pedido e espero que mereça:
acenda um verso em nome da poesia
para que, quando a partida aconteça,
clareie a noite que fui, dia após dia...


EM NOME DA POESIA - Lena Ferreira - out.14


Postar um comentário