sexta-feira, 16 de maio de 2014

BRISA

A brisa que percorre o meu céu
zelosa, em secreta intimidade,
refina essas fases planetárias
de frases desconexas e solares

Resfria a cauda dos astros vorazes
mordendo a ponta das noites insones
e madrugando-me em silêncio assaz
nina, tranquilamente, o desassossego

Purpurinando calma nos meus olhos
planta, nos lábios, bocejos infantes:
adormecendo, quase sonho esse azul
não fossem as promessas circulares...

BRISA - Lena Ferreira - mai.14
Postar um comentário