segunda-feira, 22 de junho de 2015

MAIS ÍNTIMOS

Travessa, uma gotinha de chuva
atravessa o telhado da varanda
e, esticando-se todinha no trajeto
entre o teto e o livreto de poemas,
cai serena sobre uns tímidos versos
e macula a folha, página de outono

Desviando a atenção dos supérfluos
dedos sem sono sobrepõem-se à mácula
descobrindo o quê que ia encoberto
entre os anseios mais fúteis, vários
entre as linhas entremeadas em flor

Olhos, mais nítidos, bebericam o necessário 
Dedos, mais íntimos, seguem o seu itinerário



MAIS ÍNTIMOS - Lena Ferreira - 
Postar um comentário