quinta-feira, 13 de abril de 2017


concedo o instante preciso
dessa pausa onde respiro
outro passo que delira

línguas lambendo improviso
lábios fabricando abraços

uma pressa em pó de esgrima
golpeando o tempo escasso
arremete um pensamento
despertando o que anima

corpos, veias, boca, espaço
posso tudo enquanto faço
Postar um comentário