segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

VOA

''Os filhos crescem, criam asas e voam.''
A primeira vez que ouvi esta frase, ia longe a sua assimilação assim como também ia longe a iminência do fato. Ainda ontem, era apenas um garoto tímido e franzino brincando com videogames e bonecos de combate. Mas agora, com malas prontas e pouso acertado, um misto de angústia e medo e preocupações e muito, muito orgulho, me confunde. É claro que cedo ou tarde, pássaros deixam seus ninhos mas pra nós mães, principalmente, será sempre cedo e por mais que tenhamos a confiante certeza de que os preparamos para a vida, jamais julgamos que estejam aptos a se virarem sozinhos, longe de nossos mimos, nossa comida, nossa bronca, nosso carinho, nosso conselho, nosso colo...Talvez, na verdade, quem não esteja pronta para deixá-lo ir, seja eu. Nunca estarei!? Ah, essa mania de querer controlar tudo...Sempre será cedo. É cedo hoje. Será cedo amanhã, ano que vem e depois... Então, que seja; deixo-lhe a cargo dos valores que lhe transmitimos e da confiança no bom homem que, até ontem menino, se transformou. Num misto de angústia e orgulho, aguardo pela sua iminente decolagem e rezo. Que seja feliz nessa sua escolha. E que esteja certo de que o ninho estará sempre pronto a acolhê-lo de volta, seja a hora ou o motivo que for, sem cobranças e com o mesmo carinho de sempre. E sempre. Então, voa, filho. E seja feliz!

VOA - Lena Ferreira - fev.14

Postar um comentário