terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

TRISTEZAS OCEÂNICAS

Tristezas oceânicas se alargam
se nadas nas lembranças sem preparo
trazendo à tona as que a boca amarga;
eventos que não ficaram bem claros

Tristezas desse jeito, paralisam
teus passos, do presente pro futuro
a alma, o olhar à vida, marmorizam
e, até na claridade, vês escuro

Tristezas, pelos olhos, liquefeitas
escorrem até desmaiarem no leito;
é onde morrem mas, não satisfeitas,
ressuscitando, alagarão teu peito

TRISTEZAS OCEÂNICAS – Lena Ferreira – fev.14
Postar um comentário