quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

POR DENTRO

Desde que tropeçaram em suas carências, abraçam-se em compromisso que logo rendeu-lhes um fruto. E outro. E mais um que herdaram as pendências de uma árvore em atrofia. Noite e dia, podia-se ouvir os lamentos frustrados entre os dentes trincados e os gemidos gelados nos dois travesseiros da cama-resposta. Por anos. E os danos dessa situação, cada vez mais evidente, revelavam-se nos vícios. De ambos. Ameaças de ontem no agora, levando embora só a roupa do corpo já morto pelo caso e o descaso jamais foram cumpridas assim. E o fim, iminente mas covardemente abortado por anos, talvez tenha causado o desgaste presente. Quando, enfim, a coragem acordou - e já passava da hora - os frutos, abraçando a árvore, atacaram a semente, lançando-a fora. Natural?! O que não é legal é que quem está de fora pensar em julgar um ou outro já que não consegue nem pode entender o que, verdadeiramente, se passou entre ambos por anos. Por dentro, os danos...

POR DENTRO - Lena Ferreira - fev.14
Postar um comentário