quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

PELOS JARDINS DA VELHA CASA

Andei pelos jardins da velha casa
onde lembranças com asas conduziram-me
a um passado assim, não tão distante
quando os passos, que ainda eram macios,
pisavam disciplinados, repletos de cuidados
para não espantar as tímidas borboletas
enquanto as mãos, que ainda eram delicadas,
afofavam o terreno amplo, limpo e produtivo
e semeavam , zelosas,  grãos de sonhos,
de amores
de cores
de sorrisos


Andei por onde os olhos, cheios, cheios
vislumbraram um paraíso
com pontes
sem muros


Andei pelos jardins da velha casa
e apesar do corpo em brasa
e desses pés já tão pesados
e dessas mãos já calejadas
as asas dessas lembranças
em sobrevoo, à  alma lassa,
devolveram  esperanças
aos montes,
com juros




PELOS JARDINS DA VELHA CASA - Lena Ferreira - jan.15


*para a Oficina Inspiraturas - Por onde andei

Postar um comentário