sábado, 7 de fevereiro de 2015

DESPEÇO-ME

Despeço-me de incertas palavras
e suas justificativas meramente fugazes
Caminho por uma estrada de chão batido
onde todos os sinônimos  ativos
são alertas em placas de pacificação

Despeço-me desse instante breve
sorvendo o segundo do seu sopro
- intenso, vibrante, ventila e vai...e voo -

Despeço-me da insistente desistência
sei que é o ranço do cansaço que a convida...

Escrevo todos os adjetivos na areia
sabendo que as ondas irão apagar
este é o intento, e o desejo:
que venham os verbos




DESPEÇO-ME – Lena Ferreira – fev.15
Postar um comentário