quinta-feira, 29 de janeiro de 2015



- à D. Oliveira -



Das coisas que me pede que lhe diga
em forma de poema, apresento
usando sempre os mesmos argumentos
para que todo pé em paz prossiga:

Não compre inutilmente qualquer briga
nem conte os seus planos para o vento
mantendo forte e firme em pensamento
que o que sustenta o teto é a viga

E que nem sempre quem se diz amigo
servirá de apoio, de abrigo
nas horas em que mais você precisa

Amigo não tem custo nem tem preço
e se você caminha pro tropeço
é sempre  amigo aquele que lhe avisa




Postar um comentário