quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

NOITES COM SOL

Há, sim, noites com sol e não duvide
quando lhe falo assim, quase dourada,
das vezes em que peles vívidas e ensolaradas
fundavam madrugadas entre líquidos lençóis


Das vezes em que o vento levemente amendoado
lembrava as plumas de abanar velhos sultões


Das vezes em que as flores virgens de outras estações
perfumavam senões por incontáveis dias


Das vezes em que olhares se entendiam
e em total harmonia, uniam-se, corpo e alma


Há, sim, noites com sol, de palma a palma
onde a calma não se afasta, só abrevia
os passos desse tempo que tem pressa
pela nudez da lua expressa  durante o dia




NOITES COM SOL - Lena Ferreira - jan.15
Postar um comentário