sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

PAUSA

Exclamações correndo soltas, livres, leves,
expressam a pressa de um estado de euforia
enquanto as interrogações - furando greves,
em bando - levedam o que alimentaria

Pontos finais já esgotados em fibra e força,
arrastam-se e transmutam-se em reticências
porém, pressinto que ainda há quem torça
pelo pesar, ponderações, resiliência

Só que as palavras brotam e bobas  chamam o vento
que já cansado,  responde:  - não mais te aguento...
mas, um amigo toca a alma e me inspira


Respiro, pauso os passos céleres do tempo,
aquieto a mente e a calma logo toma assento
- é nessa pausa que a razão, leve, respira  -




PAUSA - Lena Ferreira - jan.15
Postar um comentário