segunda-feira, 14 de abril de 2014

DO QUE PODERIA TER SIDO

a música
que a madrugada canta
remete-me a um sublime enlevo
e a mente vaga nas lembranças
do que poderia ter sido


enquanto a cidade dorme,
desenho no ar uma cena perfeita
onde, eleita, morava em seu peito
e, satisfeito, fazia-me promessas

mas,
sem licença, um vento suspeito
desfaz os detalhes...


recorro ao papel e a pena
que me socorrem prontamente;
a alma escapa pelas pontas dos dedos

e na vaga de cada verso, acorda
cada fiapo de esperança adormecida

esquecidos do tempo que morre,
nascem poemas falando de nós

- do que poderia ter sido -


DO QUE PODERIA TER SIDO - Lena Ferreira - abr.14
Postar um comentário