terça-feira, 1 de abril de 2014

ABRIL-ME

Abriu-me os olhos que iam cansados
fechados para o que de fato importa
mostrando que o tempo traz resposta
para as perguntas mofas do passado

Abriu-me a boca para um amplo riso
- fechada em pausa grave, provisória -
mostrando que esta vida, transitória,
não é um inferno nem é um paraíso

Abriu-me as portas e também janelas
fechadas por um violento vento -
mostrando o sol que pode ser unguento
no tratamento de certas sequelas

Abriu-me o verbo, o verso e a pena
como resposta, respirou mais leve
e num sussurro, decretou a greve
da pausa grave e abril-me, serena 

ABRIL-ME - Lena Ferreira - abr.14
Postar um comentário