quarta-feira, 12 de julho de 2017

entre o gosto e o espanto



foi assim, entre o gosto e o espanto
que intentei seu cansaço no meu
e acolhendo a sua língua arredia
convoquei esse encanto no breu:

olhos baços num tom de outono
duas folhas que caem sem querer
e se vão com um vento indisposto
sem destino saber, sem querer

recolhi esse olhar complacente
e lavei na mais pura das águas
as três mágoas debaixo da ponte
onde a ira quebrou seus dois pés

- que o pedaço partido no espaço
pouco a pouco, parece, refez -

e, outra vez, tentativa e fracasso:
num duelo entre espada e punhal
os desejos, talvez prematuros,
os cansaços passados do tempo
e um vento invocado no meio
impedindo o compasso final

entre o desencanto e desgosto,
meu cansaço cansou-se do seu 
mas, ainda mastigo as vontades
desse olhar que nada prometeu


- Lena Ferreira - 
Postar um comentário