quinta-feira, 22 de junho de 2017




risco um verso no tempo arredio
e ouço a pauta pesar no seu corpo
que agitado contorce-se, torto:

tiro o verso pensado em desvio

outro verso na pele do cio
e ouço o alarme do tempo pudico
que censura, então retifico:

tiro o verbo pensado e o resfrio

outro verso no vento do instante
mau nem bom, nem mesmo consonante
vou, me arrisco nas letras a fio


o que importo é o amor pela escrita
boa ou ruim, é ela que me dita
a importância desse desafio


desafio - Lena Ferreira -


Postar um comentário