quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

aos olhos do poema

aos olhos do poema,
tudo é pergunta latente
e aos seus ouvidos,
tudo remete à outra canção
à sua mão, quando disposta,
tudo o que chega, se transforma
a não ser esse silêncio
que, arrastado e displicente,
desinforma
sua última resposta



 - Lena Ferreira -
Postar um comentário