OUVINDO

As vozes do vento, as velozes,
confundem os ouvidos incautos
em sustos, também sobressaltos,
imputam torturas ferozes

As vozes do vento, as bravias,
iludem os olhares distantes
em compassos tão dissonantes
instauram a desarmonia

As vozes do vento, as amenas,
difundem a calma prevista
em passos de lenta conquista
evocam as coisas pequenas

As vozes do vento, as suaves,
dispersam as palavras graves


OUVINDO - Lena Ferreira -


Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

eu não sou flor que se cheire

menos a saudade

é para lá que voo