sexta-feira, 9 de outubro de 2015

ALENTO

Planto gestos
e momentos
mudas, sementes
antes do fruto
afeto
é nato
Palavras empresto
ao vento
semeio o verso
em estado bruto
só feto
é fato
Os dedos cheios de letras
que cavoucam a página do dia  
e as mãos cheias de folhas
que pretendem colher poesia
águo-as nas fases da lua 
seco-as nas lágrimas do sol
rescende um aroma dessa rotina
que espanta as ânsias mais ingênuas
e perfuma as gotas cheias da retina
e prepara o itinerário que amanhece
e refaz o ciclo que tão bem conhece
- planto palavras
no vento -



ALENTO - Lena Ferreira -
Postar um comentário