sexta-feira, 5 de junho de 2015

MARÍLIA

Penso-te oceano
e, enfunando as velas do meu peito
no vento das conquistas improváveis
que sopra rarefeito sobre as águas tranquilas,
espero ao sabor de um dia quase

Passam-se as horas, os dias, os meses
mudam-se os ciclos, as luas e as marés
sem que te preveja ancorando-me as vontades
de volume preciso, de desaguar intenso
entre o veio extenso e o dito impalpável

Ainda assim, cogito passar pelos anos... Ou eras
sob este céu claro, de expectativas esparsas,
coalhado por um rebanho de nuvens tangido a maresias
que, me acenando paciência, não chove, não chove;
mais desassossega as ondas que me correm milhas

Penso-te oceano
e isto é condição inevitável
mas, pela extensa espera, é pouco provável
que um dia espraies tuas águas
pelas areias da minha ilha...


MARÍLIA - Lena Ferreira - In Florbelescos
Postar um comentário