sexta-feira, 29 de maio de 2015

PARA AQUIESCER SILÊNCIOS

Há sussurros madrugados de inverno
passeando sobre a derme macia
dos silêncios que dormitam bem tranquilos
no vão das vãs palavras que disperso

Aconchegue o ouvido de sua alma
e acompanhe cada um dos passos deles
que arrepiam pelos, peles e sentidos
desgovernando rumores e direções

Uma gota dessa calma generosa
que alaga os seus olhos de infância
tranquilizaria alguns desses apelos
nus em cada um dos doidivanos versos

Então, traga urgentemente a sua demora
na colheita destes lábios que, enquanto esperam,
murmurarão cântaros de cânticos ternos
para aquiescer silêncios às sensações




PARA AQUIESCER SILÊNCIOS - Lena Ferreira - mai.15
Postar um comentário