CANÇÕES SOZINHAS

E as águas meditam certas
enquanto contornam pedras
no curso de um extenso rio

seguindo, da calma, a seta
saúdam margens extremas
bendizem os desconhecidos

nostálgicas de suas fontes
murmuram canções sozinhas
tentando auscultar o tempo

enquanto o vento escorre
ventando  tormentas castas,
as águas seguem seu plano:

gestantes, fecundas em afeto
vertido em contrações vastas
parem ternuras pelo oceano


CANÇÕES SOZINHAS - Lena Ferreira - abr.15

Comentários

Anorkinda Neide disse…
Mas bah... dessas ternuras oceânicas eu quero compartilhamentos, downloads e muitos likes!
E o vento segue ventando-te mesmo em águas salgadas ;)

bjukas

Postagens mais visitadas deste blog

eu não sou flor que se cheire

por sorte

sem licença poética