quarta-feira, 26 de novembro de 2014

ABISMO

Há um abismo imensurável que nos separa
e no seu fundo, desliza um rio límpido e largo
águas de curso perene
onde as margens se debruçam silentes
e observam o desfile de secretas vontades


Vez por outra me precipito e sorvo fartos goles
de sua nascente virgem e tão tranquila
na tentativa aflita de acalmar a ânsia
que me priva de saliva a língua

Em vão...

-só faz alimentar-me a sede. –




ABISMO – Lena Ferreira – nov.14
Postar um comentário